26 de setembro de 2016

QUINTA DE LA ROSA | SELECÇÃO ESPECIAL DA ADEGA PARTICULAR

26.9.16
A Quinta de la Rosa não pára! Os investimentos na adega e no turismo são constantes, sempre com o objectivo de surpreender quem a visita e elege os seus vinhos para momentos de prazer. Recentemente abriu as portas a uma nova sala de provas e loja de vinhos e remodelou a Casa Amarela, uma das duas ‘villas’ que possui, à parte dos 14 quartos. Depois de arrumada a casa, é tempo de mostrar (e vender) o que de melhor a família Bergqvist, proprietária da Quinta de la Rosa, têm andado a guardar na sua adega particular. 

Sob o mote ‘Selecção Especial da Adega Particular’, a Quinta de la Rosa está a apostar no relançamento de vinhos de colheitas antigas. Vinhos que deram prazer a beber quando lançados, mas que têm vindo a evoluir de forma bastante sedutora em garrafa, revelando-se ainda mais prazerosos na prova actual. 

Vinhos praticamente inexistentes. A verdade é que o mercado tem sede “das colheitas mais recentes” (dinâmica que começa a mudar) e são muito poucos os consumidores que têm disponibilidade para comprar vinhos para guardar. Assim, cabe aos produtores guardarem algumas garrafas, em excelentes condições, relançando-as anos mais tarde. Um papel didáctico, que lhes permite confirmar o potencial de evolução e guarda dos seus vinhos, dando igualmente a oportunidade ao consumidor de o percepcionar. 

Para dar o pontapé de saída a este conceito, a Quinta de la Rosa elegeu um branco (Quinta de la Rosa) e um tinto (Passagem), ambos da mítica colheita de 2011. Um branco com idade? Sim, porque nem só de grandes e longevos tintos se faz o Douro. Neste Vale nascem vinhos com características de excelência para evoluírem e melhorarem com o tempo de estágio em garrafa. A conceituada crítica de vinhos Jancis Robinson é uma grande defensora desta “verdade”. 

Com a assinatura do enólogo Jorge Moreira, os brancos da Quinta de la Rosa são néctares com muita frescura, acidez e mineralidade, encaixando na perfeição no perfil de “vinhos de guarda”, que melhoram com a idade. A prová-lo e a dar o “corpo ao manifesto” está o ‘Quinta de la Rosa Reserva branco 2011’ – referência que foi alvo de rebranding na colheita de 2015: quer no nome, agora ‘La Rosa Reserva branco’; quer na imagem, que acompanhou a do ‘La Rosa Reserva tinto’. 

O ‘Passagem Reserva 2011’ foi o tinto eleito para se estrear na ‘Selecção Especial da Adega Particular’. Um grande e sedutor vinho que não tem origem na Quinta de la Rosa, junto ao Pinhão, mas na Quinta das Bandeiras, situada em frente ao Vale Meão, no concelho de Torre de Moncorvo, sub-região do Douro Superior. Um projecto que nasceu em 2005 e que junta a família Bergqvist, proprietária da Quinta de la Rosa, com o seu enólogo, numa joint venture 50:50. Daqui e com a marca ‘Passagem’, Jorge Moreira pode engarrafar um Douro mais frutado, aromático e expressivo, em oposição ao mineral e elegante Douro da Quinta de la Rosa. 

O próximo “revival” é uma edição muito especial e exclusiva. Não se trata de um, mas três tintos da colheita de 2005, sendo que dois deles são vinhos únicos. São eles o ‘La Rosa Vale do Inferno’ (que teve uma segunda edição em 2011 e que vai ter a de 2014, mas com características diferentes porque esta primeira edição era de Vinha Velha, o que não acontece com as edições seguintes), o ‘La Rosa Cerejinha’ e o ‘La Rosa Reserva’, nascidos no seio do projecto ‘La Rosa Trio Tasting Experience 2005’, uma ideia do enólogo Jorge Moreira. 



Quinta de la Rosa does not stop! Investments in the cellar and tourism are constant, always with the aim to surprise the visitors and elects its wines for moments of pleasure. Recently opened the doors to a new room tasting and wine store and remodeled the Yellow House, one of the two 'villas', apart from the 14 rooms. After tidy the house, it is time to show (and sell) the best that the Bergqvist family, owners of Quinta de la Rosa, have been saving in his private cellar.

Under the motto 'Selecção Especial da Adega Particular', Quinta de la Rosa is betting on the recovery of old vintage wines. Wines that gave pleasure to drink when released, but have been evolving quite seductively in the bottle, revealing even more pleasant in the current test.

Practically non-existent wines. The truth is that the market his thirst for "the most recent harvest" (dynamic that begins to change) and very few consumers are available to buy wine to save. Thus, it is up to the producers to keep a few bottles, in excellent condition, relaunching them years later. An educational role, which allows them to confirm the potential of evolution and care of their wines, also giving the opportunity for the consumer to percept.

To give the kick-off to this concept, Quinta de la Rosa chose a white (Quinta de la Rosa) and a red (Passagem), both from the mythical harvest of 2011. A white with age? Yes, because not only large, long-lived red makes the Douro wines. In this valley are born wines with excellent characteristics to evolve and improve with aging time in bottle. The renowned wines critic Jancis Robinson is a great advocate of this "truth."

With the signing of winemaker Jorge Moreira, white Quinta de la Rosa are nectars with great freshness, acidity and minerality, fitting perfectly the profile of "storage wines", which improve with age. To prove this point is the 'Quinta de la Rosa White Reserve 2011' - a reference that was rebranded in 2015 harvest, in the name, now 'La Rosa Reserva branco'; and the image that accompanied the 'La Rosa Reserva tinto'.

The 'Passagem Reserva 2011' was elect to debut in 'Selecção Especial da Adega Particular'. A large, seductive wine that does not originate in the Quinta de la Rosa, near Pinhão, but Quinta das Bandeiras, located in front of the Vale Meão in Torre de Moncorvo municipality, sub-region of Douro Superior. A project that was born in 2005, joining the Bergqvist family, owners of Quinta de la Rosa, with its winemaker, a 50:50 joint venture. From here and with the brand 'Passagem', Jorge Moreira was able to bottle a Douro more fruity, aromatic and expressive as opposed to mineral and elegant Douro Quinta de la Rosa.

The next "revival" is a very special and exclusive edition. This is not one but three red wines of the 2005 harvest, two of which are unique wines. They are the 'La Rosa Vale do Inferno' (which had a second edition in 2011 and will have the 2014, but with different characteristics because this first edition was the Old Vine, which does not happen with the following editions), the 'La Rosa Cerejinha' and 'La Rosa Reserva', born within the project 'La Rosa Trio Tasting Experience 2005', an idea of ​​winemaker Jorge Moreira.




Sem comentários: