7 de novembro de 2017

ADEUS DESPORTO...

7.11.17


No dia 1 de Setembro iniciei um novo capítulo deste livro que é a vida, um capítulo com acção, aventura e algum drama.

Desde o distante ano de 2007 que trabalho por conta própria, cansado de trabalhar como designer gráfico para empresas e ou patrões com os quais não me identificava, decidi dar o salto e abrir a minha própria empresa, a DC[BY]DC

Foi mais ou menos por esta altura que se começou a falar das crises económicas no nosso país, mas eu estava convicto da qualidade do meu trabalho e de uma maneira ou de outra haveria de sobreviver... O trabalho foi aparecendo e as contas foram-se pagando, mas a carga fiscal que este meu Portugal aplica às pequenas e médias empresas, torna difícil a sobrevivência. 



Os anos foram passando, casei e 2 anos depois apareceram os meus gémeos. As despesas familiares subiram em flecha e desde 2012 que a sobrevivência tem sido a palavra de ordem no orçamento familiar, se juntarmos alguma desilusão com a área de trabalho e alguns erros cometidos, chegamos ao ponto de passados 10 anos, equacionarmos se queremos continuar a remar contra a maré ou se pura e simplesmente nos deixamos levar pela corrente.

Quem é pai sabe que a partir do momento em que os nossos filhos nascem, tudo o que fazemos é em função deles, do seu bem estar, de lhes proporcionar a melhor vida possível e atenção que não estou a falar de bens materiais. Para que isso aconteça é fundamental ter uma base económica sustentável, saber que ao fim do mês vamos ter dinheiro para pagar as despesas fixas e colocar comida no frigorifico.

Com as minha prioridades bem definidas e após conversa familiar decidi inscrever-me para trabalhar na linha de montagem da Autoeuropa. Apesar de nunca ter feito nada do género, tinha uma noção do que era o trabalho em fábrica, não sou daquelas pessoas que fica a olhar para uma ferramenta como um burro para um fardo de palha, mas o trabalho numa linha de montagem é diferente de tudo o resto. Existe uma pressão física e psicológica constante, para que não sejam cometidos quaisquer erros e depois temos os horários por turnos.

Não obstante as exigências, encaro esta nova fase como em tudo na minha vida, é um desafio que eu vou superar e que para isso tenho de dar o meu melhor, se bem que por vezes o melhor não seja suficiente, como diz um colega meu, temos de dar 200%!!! E é isso que tenho feito nos últimos 2 meses, dar o meu melhor na Autoeuropa e de seguida ou antes, conforme o horário na DC[BY]DC, pois não fechei a empresa.

Neste momento trabalho cerca de 14h por dia o que quer dizer menos tempo com a familia... o que não deixa de ser paradoxal, pois para lhes proporcionar uma melhor vida, uma vida mais estável, passo mais tempo ausente. 


Como é facil de perceber, o desporto que eu tanto amo e que desde sempre fez parte da minha vida, pura e simplesmente deixou de existir. Tinha aceitado o convite do Sérgio e do Nelson Rosado para em Setembro integrar a equipa dos Anjos, na Powerade MTB NON STOP Madrid-Lisboa e depois de perceber que não iria conseguir participar e quase em cima da data, tive de ganhar coragem e fazer o telefonema... Quem me conhece sabe que quando me comprometo vou até ao fim, só por razões muito válidas é que posso não cumprir com o prometido e mesmo assim contam-se pelos dedos de uma mão, as vezes que isso aconteceu.

Felizmente e apesar de todo o constrangimento que a minha desistência causou, as pessoas compreenderam as minhas razões. O Filipe, organizador da Travessia Transmontana, que tão amavelmente me tinha convidado para participar na edição deste ano, foi outra pessoa a quem tive de telefonar e mais uma vez explicar o porquê da minha desistência. Felizmente, também ele mostrou ser uma pessoa compreensiva.


Tenho de agradecer a muitas pessoas que fazem parte da minha vida, por todo o apoio quer tenho recebido e dizer que não se preocupem, eu gosto do que faço e sinceramente não percebo porque é que podem achar que a minha vida teve um retrocesso. Se há coisa que os meus pais me ensinaram é de que trabalho honesto, seja ele qual for é sinónimo de dinheiro honesto e eu muito sinceramente prefiro ter menos mas dormir descansado ao fim do dia.


Quanto à minha vida desportiva e apesar de ter iniciado o ano com muitos projectos e muitas ambições, neste momento esta em pausa e digo pausa porque eu sei que é apenas uma questão de tempo e de adaptação a esta minha nova vida. O que não me mata, fortalece-me!

Eu vou voltar!!!



On September 1st I started a new chapter of this book that is life, a chapter with action, adventure and some drama.

Since the distant year of 2007 I have been working for myself, tired of working as a graphic designer for companies and / or bosses with whom I did not identify myself, I decided to make the leap and open my own company, DC [BY] DC.

It was about this time that we started talking about the economic crises in our country, but I was convinced of the quality of my work and in one way or another I would survive ... The work was appearing and the expenses were paid, but the tax burden that Portugal applies to small and medium-sized enterprises makes survival difficult.

Years passed, I married and 2 years later my twins appeared. Family expenses have soared and, since 2012, survival has been the keyword in the family budget, if we add some disillusionment with the work area and some mistakes, we still reached the 10 years mark, but started considering whether to continue to paddle against the tide or if simply let ourselves be carried by the current.

Whoever is a father knows that from the moment our children are born, everything we do is because of them, their well-being, to provide them with the best possible life and attention that I am not talking about material goods. For this to happen it is essential to have a sustainable economic base, to know that at the end of the month we will have money to pay the fixed expenses and put food in the fridge.

With my well defined priorities and after family conversation I decided to sign up to work on the Autoeuropa assembly line. Although I had never done anything like it, I had a sense of what factory work was, I'm not one of those people who stares at a tool like a donkey for a bale of straw, but working on an assembly line is different from everything else. There is constant physical and psychological pressure so that no mistakes are made and then we have shift schedules.

Notwithstanding the demands, I face this new phase as in everything in my life, it is a challenge that I will overcome and that for this I have to do my best, although sometimes the best is not enough, as one of my colleagues says , "we have to give 200%!!!" And that's what I've been doing for the past 2 months, doing my best at Autoeuropa and before or after, depending on the shift,  in DC [BY] DC, because I did not close the company.

At the moment I work around 14h a day which means less time with the family ... which is paradoxical, because to give them a better life, a more stable life, I spend more time absent.

As it is easy to perceive, the sport that I love so much and that has always been part of my life, has simply ceased to exist. I had accepted the invitation from Sérgio and Nelson Rosado to join the Anjos team in the Powerade MTB NON STOP Madrid-Lisboa in September and after realizing that I would not be able to participate and almost on the date, I had to win the courage and do the phone call ... Anyone who knows me knows that when I commit myself,
i'l go to the end, only for very valid reasons i may not not fulfill the promise and even so they are counted by the fingers of one hand, the times that it happened.

Fortunately, and despite all the embarrassment my quitting caused, people understood my reasons. Filipe, organizer of Travessia Transmontana, who had kindly invited me to participate in this year's edition, was another person whom I had to telephone and once again explain why I gave up. Fortunately, he too has shown himself to be a sympathetic person.

I have to thank many people who are part of my life, for all the support I have received and said not to worry, I like what I do and honestly I do not understand why you can think that my life has had a setback. If there is one thing that my parents taught me is that honest work, whatever it is is synonymous to honest money and I very sincerely prefer to have less but be able to have a restful sleep at the end of the day.

As for my sporting life and despite having started the year with many projects and many ambitions, at the moment it is in pause and I say pause because I know it is just a matter of time and adaptation to this new life of mine. What does not kill me, strengthen me!


I will come back!!!

6 comentários:

Anónimo disse...

É isso mesmo, uma pausa, uma adaptação. Vais ver que em breve voltas e com mais força! O importante é nunca desistir do que queremos. Força nisso!

Nídia

Luana Santos disse...

Para a frente é que é caminho. Muitas felicidades nesta nova etapa. 😊 E somos colegas de trabalho 😀

fernando sousa disse...

Amigo Caldeira filho aqui o Bil teve la 11 bons anos e nao morri tu tambem te vais safar Abraço

MS disse...

Coragem!grande abraço, boas palavras senti a tua angustia!

zippy disse...

O título devia ser: "Até já desporto!"

Força aí campeão, estou certo que em breve vais adaptar os horários e voltar em grande!

Abraço

Cláudia Flor disse...

Adorei o post! Segui o teu blog, podes seguir o meu blog? :)

www.aflormaria.blogspot.pt

beijinhos