16 de março de 2018

MEMÓRIAS DE UMA CARRINHA AZUL

16.3.18

Quando nós, seres humanos, nos formos desta para melhor, a única coisa que levamos connosco são as nossas memórias... boas, menos boas, não obstante serão as memórias de toda a experiência de vida desta nossa passagem pelo planeta terra.


Ao longo destes meus quase 39 anos, já deu para guardar bastantes memórias. Infelizmente não posso afirmar que são todas boas, mas na sua grande maioria sim, tenho muito boas memórias desta minha viagem.

De essas muitas memórias, guardo com especial carinho, uma dos anos 90. A ford transit azul dos Caldeiras. A maioria não faz ideia do que estou a falar, mas existe por aí uma mão cheia de "adultos" que sabe do que se trata. 

No inicio dos anos 90 iniciei a minha paixão pelas bicicletas, por influência do meu pai  e de dois dos meus tios. Lembro-me perfeitamente de ficar à janela a ver os três a partir nas suas BTT, para a volta de domingo e ficar a suspirar de vontade por ir com eles. Pouco tempo passou até que o meu pai me comprasse uma BTT para os acompanhar, se bem me recordo, fiquei com a do meu pai, enquanto ele comprou uma "nova" para ele. 

Foi dos dias mais felizes da minha vida, senti que me estava a tornar num adulto e a fazer coisas de adultos, foi maravilhoso!

O tempo foi passando e de quatro passámos a 6 com a inclusão do meu irmão e do meu primo, três anos mais novos. Rapidamente a paixão pelas bicicletas se propagou aos amigos do bairro das Amoreiras, em Setúbal e os meus pais, sem perceberem bem como passaram de dois filhos a 10, isso mesmo 10!!! Por esta altura os meus tios já estavam um pouco mais afastados das bicicletas e deram lugar aos mais novos, que estavam ansiosos por mostrar o seu valor nas diversas provas de competição, de norte a sul deste nosso país.

Toda esta rapaziada, passou a fazer parte da equipa familiar Caldeiras Clube de Ciclismo, todos eles passaram a ser um importante elemento desta enorme família desportista. Com o crescimento e sem quaisquer apoios, que não fosse o ordenado dos meus pais, o meu fantástico progenitor, decide comprar uma ford transit azul de nove lugares para ser o transporte oficial da equipa. 

Mandámos fazer um suporte para as bicicletas a colocar no tecto da carrinha, lembro que nesta altura não existiam suportes de bicicleta como os de hoje e o nosso foi feito em ferro, por encomenda. Era necessário um escadote para colocarmos as bicicletas nos devidos lugares.


Lembro-me que não havia um único fim de semana sem uma prova de BTT, percorremos este nosso país de uma ponta à outra, ficámos a conhecer praticamente tudo o que havia para conhecer de trilhos e estradas nacionais, sim porque auto-estradas, nestes anos eram muito poucas. Para fazer face às imensas horas de viagem, confinados ao reduzido espaço que era a nossa carrinha, decidimos entre nós, montar um completo sistema de som, onde o principal cd era Mamonas Assassinas, havia outros, mas este era O CD!

As peripécias foram mais que muitas, aliás, não havia fim de semana que não desse origem a histórias hilariantes e passagens pelos hospitais locais, felizmente nunca com gravidade, apenas alguns arranhões e o ego magoado, mas essas histórias vou guardar para posts futuros.

Agora que sou pai, olho para trás e penso o quanto corajosos os meus pais foram. Pegar numa carrinha cheia de putos e viajar de norte a sul de Portugal, praticamente todos os fins de semana do ano, com praticamente nenhuns apoios, os que apareciam eram pontuais e muito reduzidos. Nem vou falar da autarquia porque essa, nunca tiveram a capacidade de olhar para  o trabalho que estava a ser feito junto da comunidade. 

Permitam-me que diga que os meus pais foram e ainda são os melhores do mundo!!! Obrigado por tudo o que fizeram por mim e por toda uma geração, sem pedir nada em troca. Obrigado por me/nos proporcionarem memórias felizes, memórias essas que marcaram o resto da minha vida adulta. 

Obrigado ao Daniel, ao Nuno, ao Hugo, ao Pedro Jorge, ao Pingas, ao João, ao Pedro Dorotea, ao Simpson, ao Miguel. Foram uns anos maravilhosos.

OBRIGADO!



When we human beings are gone from this place, the only thing we carry with us are our memories ... good, less good, nevertheless they will be the memories of all the life experience of our passage through planet earth.

Throughout my nearly 39 years, I have collected a good deal of memories. Unfortunately I can not say that they are all good, but for the most part, yes, I have very good memories of this trip.

Of these many memories, I hold with special affection, one of the 90's. The blue ford transit van of the Caldeiras. Most people have no idea what I'm talking about, but there is a handful of "adults" who know what it's all about.

In the early 90's I started my passion for bicycles, influenced by my father and two of my uncles. I remember perfectly staying at the window watching the three on their mountain bikes, leaving for their Sunday ride and wishing to go with them. A short time passed until my father bought me a mountain bike to accompany them, if I remember correctly, I got my father's bike while he bought a "new" for him.

It was the happiest days of my life, I felt that I was becoming an adult and doing adult things, it was wonderful!

The time passed and from four we were up to six with the inclusion of my brother and my cousin, three years younger. Soon the passion for the bicycles spread to the friends of the neighborhood of Amoreiras, in Setúbal and my parents, without noticing well how they passed from two children to ten, that's right 10!!! By this time my uncles were already a little further away from the bikes and gave way to the younger ones, who were eager to show their value in the various competitions, from north to south of our country.

All this lads, became part of the family team Caldeiras Cycling Club, all of them have become an important element of this huge family of sportsman. With growth and without any support, with the exception of my parents income, my fantastic parent decides to buy a blue nine-seat ford to be the team's official transportation.

We ordered a rack for the bikes to put on the roof of the van, I remember that at this time there were no bicycle racks like today and ours was made of iron, by order. We needed a ladder to put the bikes in the right places.

I remember that there was not a single weekend without a mountain biking competition, we traveled this country from one end to the other, we got to know practically everything there was to know of trails and national roads, because motorways, in these years were very few. In order to face the huge hours of travel, confined to the small space that was our van, we decided between us, to put together a complete sound system, where the main cd was Mamonas Assassinas, there were others, but this was The CD!

The adventures were more than many, in fact, there wasn't a weekend that didn't generate hilarious stories and passages by local hospitals, fortunately never with gravity, only a few scratches and hurt egos, but these stories i will save for future posts.

Now that I am a father, I look back and think how brave my parents were. Picking up a small truck full of kids and traveling from north to south of Portugal, practically every weekend of the year, with hardly any support, the ones that appeared were punctual and very small. Nor will I speak of the city council because they never had the ability to look at the work that was being done in the community.

Let me just say that my parents were and still are the best in the world!!! Thank you for everything you have done for me and for a whole generation, without asking anything in return. Thank you for giving us happy memories, memories that marked the rest of my adult life.

Thanks to Daniel, Nuno, Hugo, Pedro Jorge, Pingas, João, Pedro Dorotea, Simpson, Miguel. It were some wonderful years.


THANK YOU!


Sem comentários: