ride • run • eat • drink
Uncategorized

TRILHO DOS ABUTRES 2020

Quando no dia 2 de Fevereiro participei na X edição do Trilho dos Abutres, estava bem longe de suspeitar que seria a minha penúltima participação num evento desportivo, até ao dia de hoje.

2020 veio alterar tudo aquilo que sabíamos ser o nosso modo de estar para com a vida. Tudo o que tomávamos como garantido, quase de um momento para o outro, deixou de o ser. A nossa própria liberdade individual foi posta em causa, em prol de um bem maior, a erradicação deste maldito vírus.

O desporto e os eventos desportivos foram de um modo geral suspensos e só agora em 2021 estão progressivamente a regressar. Eu pessoalmente, apenas em 2022 planeio voltar a participar em novas aventuras desportivas, entretanto vou treinando e relembrado as antigas.

De entre elas tenho de destacar o Trilho dos Abutres, pois foi a minha primeira verdadeira experiência num evento de Trail Running. Foi de tal forma marcante que fiquei imediatamente viciado neste conceito.

Optei por participar na distância de 22km percorridos em 3h20. Nunca anteriormente tinha corrido tantos quilómetros, ainda mais fora de estrada.

fotografia da organização

Nunca tinha tido a oportunidade de, em modo de corrida, percorrer, uma diversidade de paisagem e altimetria como a que me presentearam nesta edição dos Abutres. Escalar paredes, trepar longas subidas com quedas de água, é uma experiência única e dolorosa para as pernas, mas mesmo assim não consigo deixar de pensar que quero voltar a sentir esta sensação única de amor / ódio.

Subidas duras por entre vegetação densa e de tal maneira verde que por vezes pensamos estar numa floresta tropical, descidas íngremes e técnicas onde a menor distração dá origem a problema, paisagens de cortar a respiração, tudo junto é algo que não tem preço. Bom… as organizações arranjaram maneira de colocar um preço nestas experiências, mas mesmo assim vale a pena, ó se vale!

Mas o fim de semana não foi apenas dedicado ao Trail, também houve tempo para passear em familia e conhecer as maravilhosas Aldeias de Xisto, espalhadas por toda a serra da Lousã. Provámos algumas das iguarias da região e desfrutamos da simpatia dos locais.

Em 2022 o Trail vai com toda a certeza fazer parte da minha vida desportiva!

Agora só preciso de sugestões vossas!

When on February 2nd I participated in the X edition of Trilho dos Abutres, I was far from suspecting that it would be my penultimate participation in a sporting event, until today.

2020 came to change everything we knew to be our way of being. Everything we took for granted, almost overnight, ceased to be. Our own individual freedom has been called into question, for the sake of a greater good, the eradication of this accursed virus.

Sport and sporting events were largely suspended and only now in 2021 are they progressively making a comeback. I personally, only in 2022 plan to participate in new sporting adventures again, however I’m training and remembering the old ones.

Among them I have to highlight Trilho dos Abutres, as it was my first real experience in a Trail Running event. It was so striking that I was immediately hooked on this concept.

photo by burpee photography

I chose to participate in the 22km distance covered in 3h20. Never before had I run so many kilometers, even more off-road.

I had never had the opportunity, in race mode, to cover a diversity of landscape and altimetry like the one presented to me in this edition of Trilho dos Abutres. Climbing walls and other long climbs with waterfalls is a unique and painful experience for the legs, but even so I can’t help but think that I want to feel this unique feeling of love/hate again.

Hard climbs through dense vegetation and so green that sometimes we think we are in a tropical forest, steep descents and very technical where the slightest distraction gives rise to problems, breathtaking landscapes, all together are priceless. Well… the organizations found a way to put a price on these experiences, but it’s still worth it!

But the weekend was not just dedicated to the Trail, there was also time to walk with the family and get to know the wonderful Schist Villages, spread throughout the Lousã mountains. We tasted some of the region’s delicacies and enjoyed the friendliness of the locals.

In 2022, Trail will definitely be part of my sporting life!

Now I just need your suggestions!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *